Consumo de bebidas alcoólicas durante a gravidez

Emília Coutinho, Carlos Pereira, Odete Amaral, Paula Nelas, Claúdia Chaves, Nélio Veiga, Carla Cruz

Resumen


Introdução: O consumo de bebidas alcoólicas durante a gravidez é altamente prejudicial à saúde da mãe bem como à saúde do feto. O consumo de álcool durante a gravidez leva-nos a questionar a qualidade dos cuidados de saúde. Os objetivos deste estudo foram quantificar a prevalência do consumo de bebidas alcoólicas durante a gravidez por mulheres portuguesas e imigrantes em Portugal e analisar a informação veiculada nas consultas de vigilância de gravidez.

Métodos: Estudo transversal, parcialmente analisado como caso controlo, envolveu 753 mães imigrantes com idades entre os 16 e os 45 anos (29,30±5,76) e 1654 portuguesas com idades entre os 15 e os 44 anos (29,99±5,42). Recolha de dados por questionário autopreenchido, em 32 maternidades/ hospitais portugueses, de janeiro de 2010 a dezembro de 2011. Considerou-se consumo de bebidas alcoólicas a ingestão de qualquer quantidade de álcool durante a gravidez. As prevalencias foram expressas em proporções e determinou-se ainda a magnitude de associação entre as variáveis com recurso aos Odds Ratio (OR) e respetivos intervalos de confiança a 95%.

Resultados: Cerca de 9 em cada 10 das grávidas não ingeriu bebidas alcoólicas, mas entre as que ingeriram, a maior percentagem ocorreu entre as imigrantes (12,0% vs 6,6%) com significância estatística (OR 0,52; IC95% 0,37-0,7; x2=19,617; p<0,001). Quanto à frequência do consumo, consumiram algumas vezes 57,8% das portuguesas e 71,1% das imigrantes (OR 0,37; IC95% 0,26-0,52). Quanto à qualidade de informação sobre o consumo de álcool 39,2% das portuguesas considerou- a boa e 34,9% das imigrantes, razoável.

Conclusão: As imigrantes consomem mais bebidas alcoólicas durante a gravidez que as portuguesas. A prevalência de qualquer consumo de álcool durante a gravidez por imigrantes e portuguesas sugere cuidados pré-natais inadequados.


Palabras clave


álcool; gravidez; enfermeiro; educação para a saúde

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


A. C. S. (2009). Plano Nacional de Saúde 2004-2010 – Avaliação de Indicadores. Lisboa.

Baron, R., Manniën, J., Velde, S., Klomp, T., Hutton, E. K., & Brug, J. (2015). Socio-demographic inequalities across a range of health status indicators and health behaviours among pregnant women in prenatal primary care: A cross-sectional study. BMC Pregnancy and Childbirth, 15, 261. doi: 10.1186/s12884-015-0676-z

Carson, G., Cox, L. V., Crane, J., Croteau, P., Graves, L., Kluka, S., . . . Wood, R. (2010). Alcohol use and pregnancy consensus clinical guidelines. J Obstet Gynaecol Can, 32(8 Suppl 3), S1-31.

Coutinho, E. (2015). Vivências e Experiências das Várias Populações Migrantes: Crenças, Desejos e Práticas Culturais Durante a Gravidez. In ESEL (Ed.), I Congresso Internacional de Saúde Materna/I International Congress of Maternal Health (Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (ESEL) – Departamento de Enfermagem de Saúde Materna ed., pp. 7-16). Lisboa, ESEL – Auditório do polo Artur Ravara: ESEL. Retrieved from http: / /www.esel .pt /NR/ rdonlyres/2A5DECA7-E259-421F-A31E-E6C141D229C9/0/ebook_ci_saude_materna.pdf.

Coutinho, E., Silva, A., Pereira, C., Duarte, J., Chaves, C., Parreira, V., . . . Barreto, C. (2012). Pregnant women immigrants in Portugal: Why they left their country? Revista Iberoamericana de Salud y Ciudadanía, 1(1, Enero-Junio), 99-118. ESPAD Group. (2016). ESPAD Report 2015: Results from the European school survey project o alcohol and other drugs. Luxembourg: Office of The European Union. Acedido em http://www.espad.org/sites/espad.org/files/ESPAD_report_2015.pdf

Ferreira, M. M. S. R. S., Torgal, M. C. L. F. P. R. (2011). Estilos de vida na adolescência: Comportamento sexual dos adolescentes portugueses. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 45(3), 589-595. Acedido em http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n3/v45n3a06.pdf

Fundação Calouste Gulbenkian, & Health Cluster Portugal. (2013). Health in Portugal: A challenge for the future, The Gulbenkian platform for a sustainable health system. Lisboa: FCG. Acedido em - https://gulbenkian.pt/wp-content/uploads/2016/03/PGIS_BrochuraSumarioExecutivoHealthPortugues.pdf

Grinfeld, H. (2009). Consumo nocivo de álcool durante a gravidez. In Arthur Guerra de Andrade & J. C. Anthony (Eds.), Álcool e suas conseqüências: Uma abordagem multiconceitual (pp. 179-199). São Paulo: Editora Manole. Acedido em http://cisa.org.br/UserFiles/File/alcoolesuasconsequencias-pt-cap9.pdf

Harding, S, Santana, P., Cruickshank, J. K., & Boroujerdi, M. (2006). Birth weights of black African babies of migrant and nonmigrant mothers compared with those of babies of European mothers in Portugal. Annals of Epidemiology, 16(7), 572-579. Acedido em http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S104727970500356X

Korinek, K., & Smith, K. R. (2011). Prenatal care among immigrant and racial-ethnic minority women in a new immigrant destination: exploring the impact of immigrant legal status. Soc Sci Med, 72(10), 1695-1703. doi: 10.1016/j.socscimed.2011.02.046

Mårdbya, A-C., Lupattellic, A., Hensingb, G., & Nordeng, H. (2017). Consumption of alcohol during pregnancy: A multinational European study. Women and Birth, (In Press). Acedido em http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1871519217300057

Mello, M. L. M., Barrias, J. C., & Breda, J. (2001). Álcool e problemas ligados ao álcool em Portugal. Lisboa: Direcção-Geral da Saúde.

Munro, S., Hui, A., Salmons, V., Solomon, C., Gemmell, E., Torabi, N., & Janssen, P. A. (2017). SmartMom Text Messaging for Prenatal Education: A qualitative focus group study to explore Canadian women’s perceptions. JMIR Public Health Surveill, 3(1), e7. Acedido em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5320393/pdf/publichealth_v3i1e7.pdf

Oulman, E., Kim, T. H. M., Yunis, K., & Tamim, H. (2015). Prevalence and predictors of unintended pregnancy among women: An analysis of the Canadian Maternity Experiences Survey. BMC Pregnancy Childbirth, 15, 260. doi 10.1186/s12884-015-0663-4

Pacheco, M. J. N. (2012). Visitação domiciliária à puérpera e ao recém-nascido do Concelho de Tavira (Dissertação de mestrado, Instituto Politécnico de Beja). Acedido em https://repositorio.ipbeja.pt/handle/123456789/3973

Portugal, Direção Geral da Saúde. (2015). Programa nacional para a vigilância da gravidez de baixo risco. Lisboa: DGS. Acedido em https://www.dgs.pt/em-destaque/programa-nacional-para-avigilancia- da-gravidez-de-baixo-risco.aspx

Rodrigues, A. P. C. (2015). Consumos de bebidas alcoólicas e falsos conceitos: Questões de género numa população que recorre aos serviços da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados em Peso da Régua (Dissertação de mestrado, Universidade Fernando Pessoa). Acedido em http://bdigital.ufp.pt/handle/10284/5210

Santana, P., Santos, R., Alves, I., Couceiro, L., & Machado, M. C. (2015). Avaliação das condições individuais e contextuais no peso dos recém-nascidos. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 33(2), 157-169. Acedido em http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0870902515000103

Shimizu, H., & Lima, M. (2009). As dimensões do cuidado pré-natal na consulta de enfermagem. Revista brasileira de enfermagem, 62, 387-392.

Silva, R. M. G. H. (2013). Consumo de álcool e atitudes sobre a gravidez e a maternidade num grupo de grávias utentes da unidade de saúde de Matosinhos (Dissertação de mestrado, Universidade Católica Portuguesa). Acedido em http://repositorio.ucp.pt/handle/10400.14/17089

Topa, J. B. (2013). Cuidados de saúde materno-infantis à população imigrante residente em Portugal (Tese de doutoramento, Universidade do Minho). Acedido em http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/26676

Tsai, H.-J., Surkan, P. J., Yu, S. M., Caruso, D., Hong, X., Bartell, T. R., … Wang, X. (2017). Differential effects of stress and African ancestry on preterm birth and related traits among US born and immigrant black mothers. Medicine (Baltimore), 96(5), e5899. doi: 10.1097/MD.0000000000005899

Walker, M. J., Al-Sahab, B., Islam, F., & Tamim, H. (2011). The epidemiology of alcohol utilization during pregnancy: An analysis of the Canadian Maternity Experiences Survey (MES). BMC Pregnancy Childbirth, 11, 52. doi: 10.1186/1471-2393-11-52 World Health Organization. Meeting to Develop a Global Consensus on Preconception Care to Reduce Maternal and Childhood Mortality and Morbidity. [Online]. Geneva: WHO Library Cataloguing-in-Publication; 2012 [cited 2014 Fevereiro. Acessível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/78067/1/9789241505000_eng.pdf.

Yenal, K., & Sevil, Ü. (2012). The effects of web-based childbirth education program on activities of daily living of pregnant women. HealthMed, 6(7), 930-938.




DOI: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2017.n1.v3.988 Statistics: Resumen : 697 views. PDF (Português (Portugal)) : 103 views.  

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2017 Emília Coutinho, Carlos Pereira, Odete Amaral, Paula Nelas, Claúdia Chaves, Nélio Veiga, Carla Cruz

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

"International Journal of Developmental and Educational Psychology."

Revista Infad de Psicología.

ISSN digital: 2603-5987

ISSN impreso: 0214-9877