A satisfação, realização e exaustão dos enfermeiros em Portugal

Carla Cruz, Paula Nelas, Emília Coutinho, Cláudia Chaves, Odete Amaral

Resumen


Contexto: As mudanças na carreira profissional e condições de trabalho implicam comprometimento da saúde física e mental, com prejuízo na satisfação, realização e exaustão dos enfermeiros portugueses.
Objetivo(s): Verificar se as variáveis sociodemográficas e profissionais e interferem na exaustão, satisfação e realização pessoal e profissional. Analisar se a satisfação profissional interfere na exaustão sentida pelos Enfermeiros portugueses.
Metodologia: Estudo de natureza quantitativa, descritivo, correlacional e analítico, retrospetivo e transversal. Amostra não probabilística, constituída por 534 enfermeiros portugueses (23.8% homens e 76.2% mulheres, com idades entre os 21 e 57 anos. Instrumento de colheita de dados: questionário sociodemográfico e profissional; Escala de Satisfação e Realização; Questionário de Copenhagen Burnout Inventory. O tratamento de dados foi efetuado com o programa SPSS (Statistical Package for the Social Sciences) versão 24 para Windows.
Resultados: As variáveis: sexo, estado civil; idade; formação especializada; tempo de serviço; horas de trabalho semanal e modalidade; recompensas; tipo de instituição pública/privada, interfe rem com a exaustão, satisfação e realização pessoal e profissional. Os enfermeiros pouco satisfeitos apresentam exaustão emocional e despersonalização, (OM=347.60) e (OM=299.79) respetivamente. A nível da realização pessoal prevalecem os que se manifestam muito satisfeitos (OM=301.40). Na totalidade da avaliação do nível de burnout, há um predomínio de enfermeiros pouco satisfeitos (OM=327.05).
Conclusões: É urgente implementar medidas a nível da gestão e direção das instituições de saúde com o objetivo de diminuir a carga de trabalho, através da contratação de enfermeiros e outras medidas como o desenvolvimento de programas de intervenção sobre gestão do tempo, conflitos, relação interpessoal e comunicação; Estimulo ao reconhecimento do trabalho, valorização e delegação das competências e sistema de recompensas dos enfermeiros.


Palabras clave


burnout; enfermagem; Portugal; satisfação

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


Almeida, H.F.O. (2009). Comunicação stresse e estratégias de adaptação dos Enfermeiros do Instituto Português de Coimbra de Francisco Gentil EPE (Dissertação de mestrado, Faculdade de Medicina de Coimbra, Portugal).

Conselho Internacional de Enfermeiros. (2011). CIPE: Versão 2: Classificação internacional para a prática de enfermagem. Lisboa: Ordem dos Enfermeiros.

Delbrouck, M. (2006). Síndrome de exaustão: Burnout. Lisboa: Climepsi.

Ferreira, M. M. S. (2005). Risco de saúde dos enfermeiros no local de trabalho. Revista Sinais Vitais, 59, 29-35.

Fonte, C.M.S. (2011). Adaptação e validação para português do questionário de Copenhagen Burnout Inventory CBI (Dissertação de mestrado, Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Portugal).

Gomes, S.P.S. (2009). Burnout em enfermeiros no início da carreira (Dissertação de mestrado, Universidade de Lisboa Portugal).

Gonçalves, E. M. M. (2009). Satisfação profissional: Uma realidade em cuidados de saúde primários. Enfermagem, 53-54(2), 30-34

Martins, J.E.L. (2010). Avaliação processual de burnout em enfermeiros para e na gestão das organizações de saúde (Dissertação de mestrado, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Portugal).

Menezes, M.H.V.F (2010). Novos modelos de gestão hospitalar: Liderança e satisfação profissional em enfermagem (Dissertação de mestrado, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Portugal).

Miranda, S.C.C. (2011). Stress ocupacional burnout e suporte social nos profissionais de saúde mental (Dissertação de mestrado, Faculdade de Filosofia de Braga – Universidade Católica Portuguesa, Portugal).

Palha, M.F.G. (2013). Satisfação profissional dos enfermeiros em unidades de cuidados continuados integrados (Dissertação de mestrado, Instituto Politécnico do Porto, Portugal).

Queirós, P.J.P. (2005). Burnout no trabalho e conjugal em enfermeiros portugueses. Coimbra: Formasau.

Simões, S.C.A. (2013). Burnout em cuidados paliativos (Dissertação de mestrado, Instituto Politécnico de Castelo Branco, Portugal).




DOI: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2018.n1.v3.1296 Statistics: Resumen : 447 views. PDF (Português (Portugal)) : 208 views.  

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2018 Carla Cruz, Paula Nelas, Emília Coutinho, Cláudia Chaves, Odete Amaral

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

"International Journal of Developmental and Educational Psychology."

Revista Infad de Psicología.

ISSN digital: 2603-5987

ISSN impreso: 0214-9877