Perfil sociodemográfico e prevalència do helicobacter pylori em adultos portugueses.

Odete Amaral, Isabel Fernandes, Carlos Pereira, Nélio Veiga, Paula Nelas, Cláudia Chaves, Emilia Coutinho

Resumen


Introdução: nas últimas décadas grande importância foi importada à bactéria Helicobacter Pylori. A infeção por Helicobacter Pylori constitui um problema de saúde pública, reconhecida como uma das infeções crónicas mais comuns estimando-se que cerca de metade da população mundial esteja infetada. Esta bactéria, localizada na mucosa gástrica, relaciona-se com algumas patologias: gastrites, carcinoma gástrico, úlcera péptica.

Métodos: realizámos um estudo transversal analítico com uma amostra comunitária de adultos dos concelhos de Viseu e Satão. A amostra final ficou constituída por 166 adultos, com idades compreendidas entre os 19 e os 92 anos de idade (média de 46,96±3,17 anos) e a maioria do género feminino (56,6%). Os dados foram recolhidos através de um questionário auto-aplicado com questões referentes a aspetos sociodemográficos, agregado familiar e hábitos e estilos de vida diários. A infeção por H. pylori foi identificada com recurso ao teste respiratório da urease. O teste foi realizado pela manhã após pelo menos 6 horas de jejum. A análise estatística realizou-se com recurso ao programa estatístico SPSS 23.0. As prevalências expressas em proporções e comparadas pelo teste qui-quadrado, com um nível de significância de 0,05. As associações foram calculadas com recurso ao Odds ratio, com intervalos de confiança de 95%.

Resultados: A prevalência de Helicobacter Pylori foi de 48,8%, (50,0% no sexo feminino e 47,2% no sexo masculino). Encontrámos percentagens maiores no sexo feminino, para idades ≤ 50 anos, estado civil casado, nível de escolaridade inferior ao 12º ano, para um maior número de irmãos e em pessoas que se encontravam no ativo, contudo as diferenças não foram estatisticamente significativas. Conclusão: quase metade da amostra apresentava infeção por Helicobacter Pylori. Não encontrámos associação entre o Helicobacter Pylori e o sexo; idade; estado civil; escolaridade, índice de massa corporal, situação profissional, número de elementos do agregado familiar e número de assoalhadas.


Palabras clave


helicobacter pylori; prevalência; fatores de risco; adulto; epidemiologia

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


Abiodun Christopher, J., Jesse Abiodun, O., Samuel Olawale, O., Olayiwola Abideen, O., & Adegboyega, A. (2010). Prevalence of helicobacter pylori among Nigerian patients with dyspepsia in Ibadan. The Pan African Medical Journal, 6, 18.

Bastos, J., Peleteiro, B., Barros, R., Alves, L., Severo, M,, Pina, M.F., et al. (2013). Sociodemographic Determinants of Prevalence and Incidence of Helicobacter pylori Infection in Portuguese Adults.

Helicobacter, 18(6):413-422. doi: 10.1111/hel.12061. http://dx.doi.org/10. 1080/00365540600585131

Hunt, R.H., Xiao, S.D., Megraud, F., Leon-Barua, R., Bazzoli, F., Van der Merwe, S., Vaz Coelho, L.G., Fock, M. World Gastroenterology Organisation Practice Guidelines: Helicobacter pylori nos países em desenvolvimento. World Gastroenterology Organisation, 2010. http://www.worldgastroenterology.org/UserFiles/file/guidelines/helicobacter-pylori-portuguese 2010.pdf

Kivi, M., & Tindberg, Y. (2006). Helicobacter pylori occurrence and transmission: a family affair? Scandinavian Journal of Infectious Diseases, 38(6-7): 407-417.

Lunet, N. (2011). A Infeção por Helicobacter pylori numa Região de Alto Risco de Cancro do Estômago. Arquivos de Medicina, 25(5-6): 213-17.

Marcus, E.A., Sachs, G., & Scitt, D.R. (2016). Eradication of Helicobacter pylori infection. Current Gastroenterology Reports, 18(7):33. Doi: 10.1007/s11894-016-0509-x.

Moosazadeh, M., Lankarani, K. B., & Afshari, M. (2016). Meta-analysis of the Prevalence of Helicobacter Pylori Infection among Children and Adults of Iran. International Journal of Preventive Medicine, 7, 48. http://doi.org/10.4103/2008-7802.177893

Oleastro, M., Furtado, C., Santos, A., Benoliel, J., Ratilal, P., & Liberato, M. Resistência primária de Helicobacter pylori em doentes sintomáticos de dois hospitais da região de Lisboa. Instituto Nacional de Saúde, Dr. Ricardo Jorge. 2014.

Peleteiro, B., La Vecchia, C., & Lunet, N. (2012). The role of Helicobacter pylori infection in the web of gastric cancer causation. European Journal of Cancer Prevention, 21(2):118-25.

Santos, H., Guerreiro, H., Sousa, D., Estevens, J., Gonçalves, A.P., Carvalho, A.P., et al. (2010). Helicobacter pylori numa população dispéptica no Algarve: prevalência e caracterização genética. Jornal Português de Gastrenterologia, 17:102-107.

Sethi, A., Chaudhuri, M., Kelly, L., & Hopman, W. (2013). Prevalence of Helicobacter pylori in a First Nations population in northwestern Ontario. Canadian Family Physician, 59(4), e182 e187.

Suerbaum, S., & Michetti, P. (2002). Helicobacter pylori infection. New England Journal of Medicine, 34(15):1175–86.

Weyermann, M., Rothenbacher, D., & Brenner, H. (2009). Acquisition of Helicobacter pylori infection in early childhood: independent contributions of infected mothers, fathers, and siblings. The American Journal of Gastroenterology, 104(1):182-189. doi:10.1038/ajg.2008.61.

Zhu, Y., Zhou, X., Wu, J., Su, J., & Zhang, G. (2014). “Risk Factors and Prevalence of Helicobacter pylori Infection in Persistent High Incidence Area of Gastric Carcinoma in Yangzhong City”. Gastroenterology Research and Practice. Article ID 481365, 10 pages. doi:10.1155/2014/481365.




DOI: https://doi.org/10.17060/ijodaep.2017.n2.v1.1128 Statistics: Resumen : 423 views. PDF (Português (Portugal)) : 189 views.  

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2018 Odete Amaral, Isabel Fernandes, Carlos Pereira, Nélio Veiga, Paula Nelas, Cláudia Chaves, Emilia Coutinho

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

"International Journal of Developmental and Educational Psychology."

Revista Infad de Psicología.

ISSN digital: 2603-5987

ISSN impreso: 0214-9877